Fifth Angel – Entrevista com Ken Mary
Postado em 05 de junho de 2019 @ 19:49 | 222 views


 

Todo mundo tem uma banda que gosta muito mas que, por alguma razão, não teve uma carreira longa e lançou poucos discos. Para mim essa banda é o Fifth Angel!

Formada em 1983 nos subúrbios de Seattle/EUA, o Fifth Angel lançou apenas dois álbuns, o debute autointitulado de 1986 (produzido por Terry Date) e o maravilhoso “Time Will Tell” de 1989. Logo no ano seguinte a banda se separou. Como causa eles responsabilizam o movimento grunge que, pasmem, nasceu na própria cidade da banda!

Só depois de 29 anos o Fifth Angel retornou com um novo trabalho de estúdio, o excepcional “The Third Secret”, lançado em Outubro do ano passado pela Nuclear Blast. Além de uma baita coleção de ótimas composições, em “The Third Secret” o grupo conseguiu resolver a ausência do seu fantástico vocalista Ted Pilot, tendo o guitarrista Kendall Bechtel também assumindo, e muito bem, os vocais principais. Uma pena que o cara tenha deixado a banda após o lançamento do álbum. ☹

Solicitei então à Nuclear Blast essa entrevista que foi respondida pelo batera e líder da banda, Ken Mary (Ken hoje também é o baterista do Flotsam And Jetsam).

Eliton – “The Third Secret”! Vocês têm mantido esse segredo por 30 anos! Isso é muito tempo! Como foi se libertar?

Ken – Bem, foi ótimo finalmente fazer um disco que sentimos que poderíamos nos orgulhar. Esse foi um dos problemas que tivemos no passado em tentar fazer um álbum que funcionasse e nos empolgasse como foi com os dois primeiros álbuns. Esses discos são considerados clássicos do metal por muitas pessoas, de modo que é uma tarefa difícil superá-los.

Eliton – “The Third Secret” é absolutamente fantástico. Foi listado por mim como o “Melhor Álbum de Metal de 2018”. Lançar um álbum tão bom agora fez vocês se arrependerem por não tê-lo lançado 30 anos antes? Ou este período de tempo foi de alguma forma essencial para obter este resultado final?

Ken – Uau, muito obrigado por isso! Nós tentamos fazer discos no passado, e sempre foi meio que o problema, já que não soava como Fifth Angel. Ted Pilot era um vocalista muito original, e substituí-lo, e ainda soar como se fosse a mesma banda, foi muito difícil. Então foi por isso que demorou tanto tempo. Queríamos ter certeza de que o terceiro álbum fosse tão bom quanto os dois primeiros, e para fazer isso certamente tivemos que ter o “som” do Fifth Angel. Isso não aconteceu até o ano passado, quando decidimos que o Kendall (Bechtel) iria fazer os vocais.

Eliton – Em 1990, quando a banda se separou pela primeira vez, vocês também tinham outro álbum incrível lançado recentemente, que foi o clássico “Time Will Tell”. Quais são as lições aprendidas com o passado que você considerará agora para evitar a mesma situação?

Ken – Bem, na época houve uma grande mudança na indústria da música em si, quando o grunge assumiu e descartou muitas bandas de metal. Então não há muito o que aprender por essa perspectiva. Acho que desta vez vamos tentar não deixar passar 29 anos entre os discos! Eu acho que a lição aprendida é fazer o que for preciso. Se é preciso alguém para fazer os vocais, mesmo que essa pessoa esteja prestes a sair da banda, então que seja. Basta fazer o que for necessário para se ter um grande disco antes de tudo.

Eliton – Devemos admitir que Kendall Bechtel fez um ótimo trabalho em “The Third Secret”, seja como vocalista ou guitarrista. Mas especialmente cantando, foi uma grande surpresa. Infelizmente ele acabou de sair do grupo. O que realmente deu errado com ele?

Ken – Sim, o Kendall é um cara super talentoso. Mas algumas pessoas não são tão disponíveis para viagens e outras partes que envolvem ser um músico profissional. Não estamos totalmente certos sobre qual é a situação com Kendall. Ele sempre fará parte da família Fifth Angel e de todo seu legado, mas fizemos grandes discos sem ele no passado e esperamos continuar fazendo ótimos álbuns no futuro sem ele também. Temos contado com o incrível talento do Ethan Brosh na guitarra e o ótimo vocalista Steve Carlson para os últimos shows. Então vamos ver como vão as coisas se saem e como as novas músicas vão progredir. Esperamos que o futuro traga mais álbuns e mais algumas performances com essa atual formação.


Eliton – Quanto de “The Third Secret” é composto de ideias antigas que vocês não usaram no passado e quanto é composto de novas ideias, escritas especialmente para este álbum? Eu pergunto isso porque a principal razão para o sucesso de “The Third Secret”, na minha humilde opinião, é que o álbum, ao mesmo tempo, soa como o clássico Fifth Angel e como o novo Fifth Angel. Passado e presente!

Ken – Eu concordo! Eu acho que “The Third Secret” mostra progressão, mas se encaixa muito bem com os álbuns antigos também. Todas as músicas são novas, e o processo criativo foi muito fácil. As músicas pareciam fluir muito facilmente pela primeira vez em muito tempo. Então esperamos que continue assim e faremos mais gravações. Nós sempre brincamos que “o tempo dirá” (Time Will Tell).

Eliton – Então é possível termos um quarto segredo revelado em breve?

Ken – Nós certamente esperamos por isso! Nós amamos os fãs e essa foi realmente a razão pela qual fizemos um novo álbum. Então, enquanto os fãs ficarem com a gente e quiserem mais, faremos o nosso melhor para entregar uma ótima música!

Atual formação do Fifth Angel: Ethan Brosh (guitarra), John Macko (baixo), Steve Carlson (vocal),  Ken Mary (bateria) e Ed Archer (guitarra)

 

 

Deixe seu comentário / Leave your comment




 
VALHALLA por Eliton Tomasi - All Rights Reserved 2017
Website by Joao Duarte - J.Duarte Design - www.jduartedesign.com