New Model Army – Carioca Club (São Paulo/SP) – 08 de Junho de 2024
Postado em 15 de junho de 2024 | 215 views @ 19:25


Esse era um dos shows que eu mais queria ver! Não consegui assistir o New Model Army antes nas quatro vezes que o icônico grupo inglês visitou São Paulo – a primeira foi em 1991 no Dama Xoc.
Cheguei bem cedo! Os Brutus, banda escalada para a abertura, ainda estava passando o som com as cortinas fechadas. Não demorou até que o show começasse, com a casa ainda um pouco vazia.

Após o guitarrista Primitivo apresentar a banda como “um grupo instrumental de punk/surf music”, os Brutus começaram seu divertido set. Gostei e achei interessante a escolha da banda para essa abertura considerando que são um grupo de música extrovertida, justamente o contrário  do que se propõe o New Model Army.

A sobriedade é o que, de fato, mais me atrai na música do New Model Army. Não obstante, é a qualidade que sempre se faz presente na produção criativa da banda, tanto em seus momentos pós-punk como de folk rock.

Foto: Leandro Almeida

Com a casa absolutamente cheia, o New Model Army deu início ao seu set com “Coming or Going”, faixa de “Unbroken”, novíssimo álbum da banda lançado em janeiro desse ano. Aliás, como era esperado, “Unbroken” foi protagonista no show com outras quatro faixas no set: “First Summer After”, “Language”, “Idumea” e “Do You Really Want To Go There?”.

Os clássicos do New Model Army são muitos! Pelo menos para aqueles que, como eu, são membros da “Family”, como são conhecidos os fãs da banda. Obviamente que sempre haverá expectativas não atendidas. Eu, por exemplo, queria muito ter visto “Studip Questions”, “Better Than Then”, “White Coats”, entre outras. Aliás, devo dizer que, entre as mais novas, “Never Arriving”, que foi tocada no show, é uma das minhas preferidas. Adoro o clipe minimalista da música com o Justin Sullivan andando sem nunca chegar.

Mas de volta aos clássicos, o primeiro deles na noite foi “Here Comes The War”. Foi de arrepiar ouvir o Carioca Club inteiro cantando junto o refrão. Duas do maravilhoso “Thunder And Consolation” de 1989 vieram na seguida: “225” e “Green and Grey”, com direito a manifesto político de Sullivan a respeito do êxodo rural.

O clássico dos clássicos, “51st State” fez novamente a plateia se emocionar e cantar em uníssono:

Foto: Leandro Almeida

“Cause we’re the 51st state of America
Yeah, we’re the 51st state of America
This is the 51st state of America”

Em “Purity” tivemos outro momento de destaque do show, com mais manifestações políticas de Sullivan, até que o set fechou com “Wonderful Way To Go” do “Strange Brotherhood” de 1998, último disco a contar com o baterista Robert Heaton, falecido em 2004.

O encore não poderia ter sido melhor! “Vagabonds”, “The Hunt” e “I Love The World” que me fez amar ainda mais o mundo por nele existir bandas como o New Model Army.

Parabéns e obrigado Liberation MC por esse que, com certeza, será um dos melhores shows do ano!
Agradecimento especial ao Leandro Almeida pelas fotos.

 

Foto: Leandro Almeida

Foto: Leandro Almeida

Foto: Leandro Almeida

 
 
VALHALLA por Eliton Tomasi - All Rights Reserved 2017 - 2021
Website by Joao Duarte - J.Duarte Design - www.jduartedesign.com